user picture
 

Arquivo


Ciclo Experimental
Solstício de Orfeu 
d'Orfusão
O Ciclo Experimental é uma iniciativa de multi-artes experimentais que começou em Janeiro de 2004 e, daí para cá, sempre se realizou no início de cada ano. Conhece melhor as várias edições nos botões aqui ao lado.Com a chegada do Verão, o  Solstício festeja-se no Espaço d'Orfeu. A partir de 21 de Junho por Julho  adentro, múltiplas actividades apelam a uma renovação de rituais e a uma  vivência cultural calorosa, num período em que o Espaço d'Orfeu é dos mais  aprazíveis recantos da cidade.

Tal como Orfeu, o mito - é fonte  de inspiração, também a d'Orfeu a associação - tem recantos mágicos  propícios à celebração criativa da vida através das mais variadas expressões  artísticas.

Uma programação partilhada e aberta à iniciativa livre e à  participação, faz convite às energias e sintonias neste Solstício de Orfeu!
2001 - 2002 - 2003


"10 Anos Não é Nada!"
cinco anos é todos os dias
aRTE sOCIAL
Viagem pelos dez anos de criações d'Orfeu

Sábado 8 de Abril 2006, 21h30
Auditório do CEFAS, Águeda

Imagine um palco que enche e esvazia ao ritmo da memória de dez anos intensos. Contemple a máquina do tempo (não, não é o metrónomo) e reviva, em catadupa, momentos de fruição que o país cultural conheceu sempre que deu palco à d'Orfeu. O embarque para a viagem pelos primeiros dez anos de criações da associação está marcada para a noite de 8 de Abril, no Auditório do CEFAS.

"Dez Anos Não É Nada", o porto de todas as criações, será um espectáculo multidisciplinar no qual participam dezenas de artistas de hoje e de sempre na história criativa da associação, desde os tempos do Com Passos Simples até aos dias de hoje, recuperando ainda Culto de Orfeu, Biombo da Festa , Há Cá Eco Há, Os CantAutores, Andamento, Clave de Xuva e vários outros colectivos. Cruzam o espectáculo ainda as criações actualmente em cena, como Toques do Caramulo, 4Portango, Muito Riso Muito Siso, põePlay, Monólogo a Duas Vozes, Fogueira d'Estórias. Com tamanho entusiasmo,  a máquina do tempo pode até ajudar a antecipar estreias de criações vindouras.

Quem, um dia, já tenha vibrado diante de um palco pisado por elenco d'Orfeu, vai certamente reviver sensações a 8 de Abril, numa festa em que as memórias vão inaugurar o futuro criativo da associação. Afinal, dez anos não é nad


Não é todos os dias que, ao fim de cinco anos de trabalho em modelo associativo, se festeja a realização artística e humana de muita gente e a amizade de tanta outra. A d'Orfeu vai soltar as cumplicidades de cinco anos. Todos os dias. No Espaço d'Orfeu.
Em muitos casos aproximámo-nos e piscámos o olho. Abrimo-nos à conquista mútua e crescemos. Agora, cinco anos de sonhos e lutas, já respondemos em nome próprio. E são muitos os amigos com quem queremos viver a apologia do espírito d'Orfeu, feito de namoro universal e de pontes. Feito de festa.

Depois de cinco anos de cometimentos culturais em Águeda e pioneirismos no contexto artístico nacional, conhecemos hoje uma d'Orfeu de capacidade cimentada. Entusiasma-nos, neste quinto aniversário, a adopção definitiva do Espaço d'Orfeu como casa-mãe da actividade da associação, tanto junto dos públicos que nos acarinham, como relativamente às sinergias internas residentes no entusiasmo de cada associado.
Mais nos empurra para este salto, o facto de o ambiente de festa do próximo mês de Julho na d'Orfeu não constituir pertinência efémera: forçosamente vai traduzir-se em mais-valias ao nível logístico, estrutural e funcional que definitivamente relançarão a actividade da associação a partir do seu próprio Espaço. A instalação do evento "cinco anos é todos os dias" traduz-se, pois, em investimento estruturante no Espaço d'Orfeu, rumo ao formato de complexo cultural.
Em Julho, no pisar de cada pé sobre este chão que nasce, vamos comemorar cinco anos de realidades e projectar mais cinco de anseios.

Programa completo

1 Jul – Terno dos Copos
2 Jul – Eurobard’O
3 Jul – Inauguração exposições documentais “d’Orfeu Cinco  Anos”
4 Jul – Daniel Romeiro & Zé Santos
5 Jul – Companhia do Choro (Brasil)
6 Jul – Pacu Atômico (Brasil)
7 Jul – NAM (EUA)
8 Jul – Águas de Março
9 Jul – ciclo cinema alternativo – Gato Preto, Gato Branco (Emir  Kusturica)
10 Jul – sessão colectiva área de formação
11 Jul – Biombo da Festa
12 Jul – Soltar a Língua, pelo trigo Limpo teatro ACERT
13 Jul – Companhia Bengala
14 Jul – José Medeiros
15 Jul – Festival de Música Cigana
16 Jul – ciclo cinema alternativo – Naked (Mike Leigh)
17 Jul – Puxa o Fole e Mete o Dedo
18 Jul – Transsiberiano, Diário de um comboio  + sessão de Poesia  Autores Mortos
19 Jul – Oficina “Fotografia do Espectáculo + 4Portango
20 Jul – 20 Canções de Amor e um Poema Desesperado pelo ACTO.Instituto de  Arte Dramática + Wine & Pine
21 Jul – Jet 7
22 Jul – A Vida Alegre do Brioso João Soldado, pelo GEFAC
23 Jul – ciclo cinema alternativo – Transpotting (Danny Boyle)
24 Jul – Algumas pistas sobre o mar salgado ou talvez nem isso, pelo  Viv’Arte – cancelado devido ao mau tempo
25 Jul – Gajdos (Hungria)
26 Jul – Assombro e Vento, pelo Teatro Aquilo + sessão de poesia Autores  Vivos
27 Jul – café concerto: d’Improvício + Jorge Lomba
28 Jul – Os Serranos
29 Jul – PédeXumbo - oficina e baile danças europeias + CCCP
30 Jul – ciclo de cinema alternativo – Buena Vista Social Club (Wim  Wenders)
31 Jul – Hoje é o primeiro dia…
d'Orfeu coordena seminário eurolatinoamericano no Recife


A Comissão Europeia anunciou a realização do Seminário Euro-Latinoamericano "aRTE sOCIAL", que se realizará na cidade do Recife , no Brasil, de 1 a 8 de Dezembro próximo. Importância inédita assume o facto, uma vez que cabe à d'Orfeu a coordenação técnica e a dinamização de toda a acção. Dois responsáveis da associação portuguesa (Luís Fernandes e Luís Silva) assumirão a coordenação do Seminário no terreno, junto d erepresentantes europeus e latino-americanos.


Trata-se de um Seminário financiado pelo Programa Juventude, no qual participarão 10 organizações juvenis artísticas da Europa (Portugal, Espanha, França, Itália e Bélgica) e da América Latina (Brasil, Peru, Equador, Uruguai e Nicarágua), a acontecer em solo latinoamericano, centrado na temática da utilização das Artes como ferramenta de desenvolvimento Social junto da comunidade juvenil, pondo em confronto as realidades europeia e latinoamericana. Tal contacto e observação dará às organizações artísticas juvenis europeias, a possibilidade de desenvolver uma perspectiva social das Artes (na Europa disponíveis quase exclusivamente para mera fruição), com base na experiência das organizações latinoamericanas congéneres, que actuam principalmente junto de classes desfavorecidas.

A ligação da d'Orfeu à temática social


Remonta já a todos os seus anteriores projectos no âmbito do Programa Juventude, a ligação da d'Orfeu à causa artística. Aliás, toda a actividade da associação se centra nas artes para e pelos jovens. Também a questão da sua utilização como ferramenta social e de inclusão é um tema que a vem mobilizando cada vez mais. Entretanto, surgidas diversas oportunidades de cooperação com países terceiros (nomeadamente Mediterrâneo e América Latina, depois de ter já estabelecido parcerias e projectos com o Sudeste Europeu em 2002), a d'Orfeu promove esta Visita, a acolher por uma organização de cariz social no Brasil (a Mirim Brasil, com quem a d'Orfeu estabeleceu esta parceria a partir do Seminário Eurolat em 2003), na qual se encontrem e debatam organizações europeias e latinoamericanas ligadas ao trabalho artístico e criativo dos jovens. Mais pertinente se torna o local de acolhimento, pela intensa dimensão social que encerra qualquer tipo de trabalho com jovens em países como os da América Latina. É local onde faz sentido a utilização das artes como forma de inclusão dos jovens e onde as organizações europeias podem captar, directamente na fonte, a capacidade de potenciar essa ligação, com vista ao seu trabalho com jovens na Europa. Das organizações europeias que estarão presentes, espera-se um efeito multiplicador das boas práticas sociais nas suas comunidades de origem, estimulando a utilização das artes (música, teatro, circo, dança, poesia, etc), com base na experiência que tenha sido esta Visita e os contactos no terreno que ela prevê com as organizações latinoamericanas que ocupam positivamente os jovens desfavorecidos em manifestações artísticas.





JÁ CONSERTO

26 Maio 2000

 Foram rodos de gente a seguir jardim acima e, uma vez em chão que nasce, deixaram aventurar-se por conta dos riscos e rabiscos do Já Conserto.
Espontânea e definitivamente se instalaram sons na sala dos instrumentos, paredes meias com um corredor não raro congestionado, enquanto por cima se ouviam passos de muitos no sótão, também eles por certo à procura de tudo e de nada: terão acabado por encontrar tudo daquilo que não se acha. À mesma hora, o pátio era auditório tanto do que acontecia no alpendre como do que se vislumbrava à meia-luz na varanda do sótão, lá em cima imponente. O bard'O, em início de carreira, desde as nove e meia não mais vazou de um público nem culto nem leigo, antes pelo contrário.
Com todo o público compartilharam o Espaço d'Orfeu numa única noite, tetos do Conservatório de Música de Águeda, poesos do Grupo Poético de Aveiro e possessas de cajueiros da Escola Secundária Marques de Castilho,  pinturiadas do Quas'Arte mai-los seus pupilos musicários ora em formato jotapêé ora numa d'improvício, para além de Máscaras Descaradas, Cardumes, HáCáEcoHás, Biombos da Festa e outros que tais, vulgo d'Orfeu.
Tão velhas paredes transpiraram, tudo em honra das novas aragens que lhe amaciam a idade da pedra. São ares de uma cultura nova e contagiante, daquela que há cinco anos poisou por aqui e que, pelos vistos, lançou antídotos aos instalados comodismos.