10 a 13 de outubro 2018
@ CAA - Centro de Artes de Águeda


Evento Facebook aqui.

Se a última edição foi de rir e chorar por mais, em 2018 o Festival “O Gesto Orelhudo” volta a instalar-se no Centro de Artes de Águeda para quatro grandes noites. De 10 a 13 de outubro, Águeda é palco do único festival português que funde música, teatro, novo circo e humor numa coisa só, a que chamamos musicomédia. É essa a marca distintiva, ano após ano, desta insólita programação cultural.

O cartaz desta 17ª edição d’O Gesto Orelhudo apresenta artistas de Portugal, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Quirguistão. Entre estreias e velhos conhecidos, todos eles estão prontos a surpreender o público com propostas transdisciplinares, burlescas e extravagantes. Do auditório ao café-concerto, as noites no CAA vão deixar toda a gente de orelhas no ar.

A d’Orfeu AC e o Município de Águeda lançam, com o programa completo, entusiasmado convite para esta 17ª edição do festival. Por humor à música!

Quarta 10 outubro, 21h00

Musicomédia ou a Vã Piada de a Explicar

Luciano Gomes

Título longo para um espetáculo curto. Quiçá grosso. É ver o ator, no papel mais ingrato da sua vida, a ter que falar de música. Por dentro, um ponto de interrogação na garganta. Por fora, toda a propriedade sobre o assunto, confiando surdamente no guião. Contributo definitivo - até ver - para a história da musicomédia em Águeda e no mundo, em apenas quinze minutos. A ironia e o nonsense de um manual de instruções para o 17º programa orelhudo!

The Primitals

Yllana / Primital Bros (Espanha)

Quatro aborígenes de um planeta que poderia ser o nosso reclamam o palco, dispostos a conquistar o público, à gargalhada ou à machetada. The Primitals é a estranha e surrealista história de uma tribo ligeiramente disfuncional, com lutas figadais, sonhos de grandeza, desequilíbrios mentais e farmacopeia milenar, fazendo música de mil maneiras. O canto primitivo numa tragicomédia a cappella. Xamanismo a quatro vozes. Vanguardismo ancestral. Tudo isto e muito mais em The Primitals, num divertidíssimo espetáculo de humor musical imaginado por dois coletivos artísticos de referência no humor em Espanha: Yllana e Primital Bros, juntos, no palco orelhudo!

Tiroliro & Vladimir

Gimba e Jorge Galvão
@ Café-Concerto

Para os mais desatentos, Gimba e Jorge Galvão são a génese e a pré-história dos míticos Afonsinhos do Condado, banda que quebrou o cinzentismo do panorama musical português pré-internet. Dois rapazes e duas guitarras são o mote para um desfile de música para divertir. O humor das canções que tão bem escrevem faz deles, gente da música, comediantes. E, de nós, verdadeiros orelhudos. A dupla alfacinha promete um primeiro fim de noite de gala.

Quinta 11 outubro, 21h15

Fogo!

Trigo Limpo teatro ACERT

Versão especial do espetáculo de tributo às populações do concelho de Tondela afetadas pelos incêndios de há um ano, num registo cómico, exorcizando o medo e brincando com os significados da palavra. Este é um espetáculo quente, invocando a função terapêutica do humor. O festival começa a segunda noite em lume brando. Se começar a arder, chamem os bombeiros! O fogo da destruição pode também ser do amor e da paixão. E da solidariedade.

Le Dolenti Note

Banda Osiris (Itália)

A Banda Osiris, uma referência italiana da musicomédia, faz neste espetáculo o retrato impiedoso da figura do músico: vaidoso, sensível, infeliz, marginalizado e raramente amado. Com as habilidades mímicas e instrumentais que o distingue, o quarteto diverte-se a distribuir conselhos sobre os ossos do ofício musical, com uma ironia provocadora. Uma lição exaustiva sobre instrumentos insuportáveis e sobre os riscos da música para a sociedade, procurando evitar que as crianças se interessem por música. Uma boa profissão? Tudo menos músico! Novo espetáculo irreverente, no regresso, dezasseis anos depois, da incrível Banda Osiris ao Festival O Gesto Orelhudo!

GiraDiscos

Paulo Meirinhos
@ Café-Concerto

Projeto a solo de Paulo Meirinhos, músico multi-instrumentista mirandês, que reveste um vasto repertório do seu universo musical tendo por base uma loop station, acumulando gravações em tempo real e ao vivo. A festa dos sons convoca, por exemplo, gaita-de-foles, baixo, guitarras elétricas, melódica e pandeiros construídos pelo próprio. Com tudo à mão e com precisão no pé, o versátil músico acrescenta tecnologia à tradição, para regalo das orelhas.

Sexta 12 outubro, 21h30

Circus Time

Mimo’s Dixie Band

Os Mimo’s sobem ao palco com a sua mais recente produção, fruto da aliança entre o gesto mímico, as artes circenses, a comédia e o jazz dixieland dos anos 20. Circus Time tem a sofisticação do palco, o ambiente do cabaret e a interação da rua, onde cresceram como coletivo. Este é um espetáculo circense de fusão músico-teatral, em que a relação entre o gesto e o som consegue tudo dizer, sem se ouvir uma única palavra. Um projeto a seguir avidamente.

Excalibow!

Bowjangles (Reino Unido)

Quando, há dois anos, este quarteto de cordas britânico se apresentou pela primeira vez em Águeda, o público ficou de queixo caído. Os Bowjangles conseguem fazer de tudo, brilhantemente, enquanto tocam. Cantam, dançam e saltam de forma intrépida sem perder, nem um pouco, a fluidez musical. O novo espetáculo “Excalibow!” invoca mitos e lendas em busca de uma relíquia preciosa, quiçá escondida na caixa do violoncelo. Sob a égide de um arco de violino, qual espada mágica lendária, desfilam monstros, deuses antigos e personagens de pura fantasia numa performance de vertigem inigualável. Bowjangles é, mais uma vez, música a transbordar comédia em todos os sons.

Tour Vacanal

De Vacas (Galiza – Espanha)
@ Café-Concerto

É comum ouvir os galegos, rindo de si próprios, dizer que falam a língua das vacas. As magníficas vozes femininas apresentam êxitos pop universais cantados em galego. Riem e cantam, encenam verdadeiras transgressões aos bons modos, com um prazer quase juvenil. São artistas dispostas a avacalhar. O guitarrista, súbdito fiel da extravagância das cantoras, sofre competentemente. Corações ao alto, que a estreia em Portugal de “De Vacas” vai ser puro deleite.

Sábado 13 outubro, 21h45

Acrolele

Barada Street (Inglaterra / Quirguistão)

Um idiota desengonçado e o seu colega musculado, cada qual com o seu ukulele, criam um universo hilariante de acrobacias, música ao vivo e idiotice insolente. Este premiado duo transnacional torna-se íntimo do seu público às primeiras interações, que tem que lutar para controlar o riso. Delicioso espetáculo de musicomédia. Hábeis e ousados, estes dois viajam por todo o mundo e chegam agora ao palco certo, o do Festival O Gesto Orelhudo!

BPM

Cie Poc (França)

Este é um concerto invulgar, uma sofisticação do nosso tempo. A sigla BPM - batimentos por minuto - refere-se a velocidade rítmica, seja a pulsação do coração ou de um andamento musical. Os três artistas desta premiada companhia francesa transformam objetos e os seus corpos em instrumentos, ao ritmo das bolas e dos seus ressaltos. Uma performance de trajetórias sonoras e, num permanente pulsar interior, o silêncio, cujas vibrações fazem ver a música e ouvir o movimento. Depois deste espetáculo, será impossível ver a arte do malabarismo da mesma maneira. Um espetáculo visual, sem palavras, uma obra-prima de malabarismo síncrono com música ao vivo.

Bailarico dos Orientes

Trio Alcatifa
@ Café-Concerto

Sonoridade dos desertos e dos orientes, numa versão musical moderna dos lendários tapetes voadores, trazendo um rasto quente de areia misturado com a brisa fresca dos sopros. A música do Trio Alcatifa faz lembrar os encantadores de serpentes, convidando o corpo ao movimento ondulado, com cheirinho a bailarico, sendo difícil não levantar voo com eles. Uma festarola dos orientes para a desbunda final do 17º Festival “O Gesto Orelhudo”!

Bilhetes

Pré-Venda (até às 19h00 do dia 10 de outubro):

Passe Orelhudo (4 noites): 20€
Bilhete diário: 10€


Durante o festival:

Passe Orelhudo (4 noites): 25€
Bilhete diário: 12€

em qualquer situação aplica-se desconto 50% a portadores Cartão d’Orfeu ou <12 anos.


ONDE COMPRAR (brevemente):

Espaço d'Orfeu

segunda a sexta: 10h00-12h00 e 15h00-18h00

Centro de Artes de Águeda

terça a sábado: 10h00-19h00 domingo: 14h00-18h00
durante o festival, a bilheteira não fecha após as 19h00.

na bilheteira online

centroartesagueda.bol.pt


Todos os espetáculos são recomendados para M/6.
Não é permitida a entrada a crianças menores de 3 anos.
Lotação limitada em todos os espetáculos.




Adesões antecipadamente no Espaço d’Orfeu ou, durante o festival, na Banquinha Orelhuda.

Para quem já é Amigo d’Orfeu, a validade é prolongada no ato da renovação.

Vantagens:

• 50% desconto nos eventos d'Orfeu (durante 1 ou 3 anos)
já aplicável aos bilhetes do 17º Festival “O Gesto Orelhudo”

oferta de brinde d’Orfeu à escolha na Banquinha Orelhuda
merchadising, CDs, etc (adesão 1 ano: 1 brinde / adesão 3 anos: 2 brindes)

mais info: dorfeu.pt/amigosdorfeu